"O melhor indicador do caráter de uma pessoa é como ela trata as pessoas que não podem lhe trazer benefício algum" - Abigail Van Buren



Escrito por Vera Nunes às 11h24
[] [envie esta mensagem] []



 

Betty Faria, Leblon, RJ. Ano 2013, séc. XXI

          A atriz Betty Faria, de 72 anos, foi à praia semana passada usando um biquini.

          Bastou este gesto simples, de quem está apenas curtindo um dia de sol, exercendo sua liberdade, para que seu Twitter começasse a bombar, com os mais diversos tipos de comentários sobre ela.

          Infelizmente, em sua esmagadora maioria, comentários maldosos. Aliás, a expressão certa talvez nem seja esta: na verdade, eram comentários crueis.

          Bastou que Betty Faria exercesse sua liberdade de se mostrar como bem tem direito, para que um bando de imbecis - estrategicamente escondidos atrás da capa das redes sociais - passasse a desrespeitá-la de todas as formas.

          Pessoas assim demonstram com isso a baixeza de seu caráter, depreciando a atriz, como se fosse um insulto usar um biquini nesta idade.

          Meu Deus, que gente é essa?

          Que tempos são esses em que apenas a magreza, a beleza irretocável e a juventude têm vez?

          Betty Faria foi ofendida de todas as maneiras possíveis, recebeu todo tipo de grosseria, de preconceito e foi alvo – sem dó nem piedade - de demonstrações do tanto de maldade e maledicência certas pessoas são capazes.

          Betty Faria tem 72 anos. Então, o processo natural de envelhecimento se transformou numa anomalia?

          Vivemos num tempo em que é proibido envelhecer, em que é uma ofensa ter alguns quilos a mais ou rugas, tempos em que não temos mais o direito de sermos apenas quem somos?

          Agora virou moda apontar o dedo, rir do outro e escancarar o verbo por trás da barreira que a internet impõe. Essas pessoas ofendem, jogam suas pedras, destilam seu veneno e se escondem, como costumam mesmo fazer os covardes.

          Sem o olho no olho fica fácil, pessoas obtusas! Será que vocês ganham algo agindo assim, com escárnio e pequenez?

          Não é mais suficiente cuidar da aparência de maneira natural, como gostamos de fazer. É preciso estender a adolescência o máximo possível, nem que para isso você tenha que se sacrificar, sempre se submetendo ao crivo dos que reprovam quem não se encaixa nos ditos "padrões".

          O bonito hoje é que a adolescência dure muito, moldando adultos infantilizados, correndo sôfregos atrás de uma juventude que não pode de forma alguma ir embora.

          Lembrei agora que dia desses ouvi um VJ da MTV dizendo a seguinte pérola: “gente bonita não devia jamais namorar gente feia”. Sua companheira de programa riu como uma hiena ao ouvir essa brilhante afirmação, talvez achando isso a mais pura verdade da face da Terra.

          Penso mais uma vez sobre onde foi parar o bom senso de quem contrata idiotas como esses para apresentarem um programa na tv, principalmente direcionado a jovens.

          Meu Deus, que tempos são esses? Que gente é essa?

          A sociedade passou a supervalorizar o corpo, a pele que não aceita nenhum tipo de imperfeição, criando um sem número de pessoas angustiadas, tristes, mortificadas e se sentindo excluídas, caso não se encaixem nesses padrões.

          Infelizmente, se olhar no espelho e se ver fora desse contexto pode gerar frustração, doenças mentais e físicas, depressão, vergonha e rejeição de si mesmo. Mas parece que isso não importa, porque ninguém quer ver quem sofre, preocupados que estão em endeusar a plástica perfeita de poucos.  

          Esse fato sobre Betty Faria me fez refletir sobre várias coisas importantes na vida...

          Quero muito que um dia as pessoas possam ser apenas quem são, cuidando de sua aparência e saúde sem neura, sem escravidão, sem a ditadura da eterna juventude. Que as pessoas possam ser felizes do jeito que são, sem essa loucura para tentar se encaixar nesse ou naquele padrão.

          Por favor, deixem os outros em paz! Vivam suas vidas e aprendam a olhar o outro com um pouco mais de humanidade, porque a gente nunca sabe o que se passa no coração de quem não se enquadra no que a sociedade e a moda impõem.

          A imbecilidade de pessoas como as que ofenderam Betty Faria no Twitter está longe de acabar, infelizmente. Fico só aqui pensando em como pessoas assim devem ser por dentro...

          Mas, lamentavelmente, chego  à conclusão de que elas parecem só mostrar mesmo uma coisa: que são dignas de pena, porque só conseguem sentir algum prazer humilhando o outro. A má notícia é que para corrigir falhas de caráter não há botox, academia, plástica ou creme milagroso que dê jeito.

          Que o bom senso impere, junto com a bondade, a sensatez, a humildade. Que as pessoas sejam mais compreensivas, com uma visão mais ampla de vida, valorizando o que realmente importa.

          Nada contra a beleza e a juventude, por favor, mas acho que esta é uma boa hora para refletirmos mais profundamente sobre temas como caráter, respeito e dignidade.

 



Escrito por Vera Nunes às 11h22
[] [envie esta mensagem] []



          Olá!

          Em breve publicarei matérias novas aqui no meu blog.

          Como vocês podem ver, estive afastada por um bom tempo, por diversas razões e compromissos, mas logo retomaremos nosso contato.

          Espero que vocês voltem a me escrever também e me ajudem a divulgar o blog.

          Enquanto isso, passeiem por aqui e leiam as matérias mais antigas, porque há assuntos que nunca ficam velhos!

          Um abraço e até já.

          Vera Nunes



Escrito por Vera Nunes às 21h03
[] [envie esta mensagem] []



[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


Meu perfil
BRASIL, Sudeste, Mulher


Histórico
Votação
Dê uma nota para meu blog


Outros sites
mothern
observatório da infância
morandini
projeto laços da rede
esporte
poemas
fotografia
shantala
música
produção de fotografias